sábado, 1 de agosto de 2009

Agora fraude e corrupção é um gesto de bondade.

Sábado, 1 de Agosto de 2009 Arthur Virgílio considera fraude e corrupção, um “um gesto bonachão” A fraude consentida por Arthur Virgílio Netto (PSDB/AM), na folha de pagamento do Senado, mantendo um funcionário fantasma em seu gabinete, recebendo salários por 18 meses, como se estivesse cumprindo a jornada de trabalho, pode vir a ser enquadrada no artigo 171 do código penal, com pena de 1 a 5 anos de cadeia. O tucano tentou justificar, alegando que sua atitude "foi um gesto bonachão" pelo qual está pagando (confira aqui). Ora, então qualquer ladrão de galinha na Brasil, já tem jurisprudência para pedir à Gilmar Mendes um habeas-corpus para sair da cadeia. Basta recorrer à "lei do bonachão de Arthur Virgílio": repor as galinhas roubadas, e dizer que foi só "um gesto bonachão". Até os assaltantes do PCC que fizeram o maior assalto da história à banco em Fortaleza, podem recorrer à "lei de Arthur Virgílio", e combinarem de devolver o dinheiro em prestações em 500 anos, e dizerem que foi só um "um gesto bonachão".
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário