quinta-feira, 21 de julho de 2011

Limpeza deve ser em todos os Ministérios - FAXINA JÁ!!

Dilma resiste à pressão da base e avisa que faxina segue se houver denúncias


Apesar do evidente mal-estar entre os partidos da coalizão por conta da limpeza iniciada nos Transportes, auxiliares da presidente avaliam que ela dará prosseguimento à ‘limpeza’ na Esplanada; Trabalho e Cidades seriam os próximos alvos

20 de julho de 2011  -  Leonencio Nossa e Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - A despeito das queixas de aliados pelas demissões de representantes do PR no setor de Transportes por supostas irregularidades, a presidente Dilma Rousseff já deu demonstrações de que manterá o rigor na "faxina" nos ministérios sempre que surgirem denúncias consideradas relevantes. Embora haja mal-estar na base de sustentação do Planalto, assessores do governo dizem que não há preocupação com a governabilidade.     
Diretor afastado do Dnit constrói casa de R$ 2,5 milhões no Mato Grosso

Entenda a crise no ministério  

Dilma recebeu na quarta-feira, 20, o ministro das Cidades, Mario Negromonte, da cota do PP. A pasta está na lista de possíveis novos alvos da "faxina" de Dilma, assim como o Ministério do Trabalho, comandado por Carlos Lupi, do PDT, informaram assessores do governo.  

Em recados que chegaram nos últimos dias ao gabinete da presidente, aliados disseram que até concordam com as mudanças, mas reclamaram das atitudes duras de Dilma em relação aos representantes do PR. 

A presidente e sua equipe dizem que foi possível manter a marca de "austeridade" durante a "limpeza" nos Transportes, com 16 demissões. Dilma continuará a dispensar envolvidos em acusações, mas avisou que não será "refém" nem de denúncias publicadas pela imprensa nem de dossiês.  

Até mesmo a cúpula do PT está apreensiva com o estilo duro da presidente. Na tentativa de amenizar esse incômodo, auxiliares da presidente observam que não há divergências, por exemplo, com o PMDB, maior partido da base. Eventuais divergências no futuro, dizem, devem ser tratadas caso a caso.   

Opinião pública. O Estado perguntou a auxiliares da presidente se o comportamento dela leva em conta pesquisas de opinião pública. Os assessores disseram que Dilma não está preocupada com pesquisas e está apenas realizando o governo para o qual foi eleita. Eles, no entanto, relatam que a presidente dedica uma parte do seu tempo para reagir a notícias consideradas por ela negativas que saem na imprensa

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-resiste-a-pressao-da-base-e-avisa-que-faxina-segue-se-houver-denuncias,747561,0.htm

terça-feira, 12 de julho de 2011

Uma cena rápida e verdadeira

 Um pequeno empresário, dono de gatinha e que tem obrinhas, daquelas que o gato costuma enterrar, mas dá para pagar a cervejinha, o cartão de crédito e o final de semana na praia, depositou um presentinho na conta de um SPF e o Banco comeu o "tôco", pedágio ou qualquer nome,  porque o mesmo estava devendo ao nosso Banco, de todos os brasileiros,  que vale OURO, o jeito foi mudar a conta para o próximo ou próxima remessa, no caso uma parceira, tão sabida como os banqueiros... - Fechando as cortinas e a conta corrente. kkkkkk

.: Um murro na mesa para começar acabar com os corruptos e a corrupção

.: Um murro na mesa para começar acabar com os corruptos e a corrupção

Um murro na mesa para começar acabar com os corruptos e a corrupção


Dilma faz a coisa certa: dá um murro na mesa

Alguém, algum dia, uma hora qualquer tinha que fazer isso mesmo: dar um murro na mesa e acabar com esta história de lotear o governo entre os partidos aliados, entregando ministérios de porteira fechada para cada um cuidar do seu feudo sem dar satisfações a ninguém.
Se antes tudo era feito em nome da "governabilidade", o fato é que, na prática, o país estava ficando ingovernável. A possibilidade aventada pelo PR de chamar Alfredo Nascimento para participar da escolha do sucessor de Alfredo Nascimento pode ter sido a gota d'água. Passaram da conta, o custo ficou alto demais, como se dizia antigamente.
Para ninguém dizer que estou ficando muito metido e abusado, vou reproduzir aqui o último parágrafo do post publicado ontem sob o título "Está na hora de chamar a benzedeira":
"Para tudo, no entanto, tem que haver um limite. Tenho certeza de que se a presidente começar pelo Ministério dos Transportes a fazer uma limpa geral e passar a dar maior valor à competência técnica e à ficha limpa dos ministros para gerir os destinos do país, ela terá todo o apoio de quem a elegeu, e até de quem não votou nela."
Não tenho a pretensão de achar que a presidente Dilma tenha tempo para ler meu modesto blog, mas foi exatamente desta forma que ela agiu, sem consultar o PR nem ninguém, ao confirmar o nome de um funcionário de carreira para ocupar definitivamente o cargo de ministro dos Transportes.
O técnico Paulo Sérgio Passos trabalha no MT há quase 30 anos, era secretário executivo e exerceu duas vezes interinamente o cargo de ministro quando o titular Alfredo Nascimento se afastou para disputar eleições, em 2006 e 2010. Estava como interino novamente desde a semana passada, quando Nascimento caiu pelo conjunto da obra que vinha executando desde 2004.
Os dirigentes do PR, o Partido Republicano (!) que se apropriara do Ministério dos Transportes, não gostaram da forma como agiu Dilma Rousseff, é claro. Afinal, perderam o comando de um orçamento anual de R$ 16 bilhões, um dos maiores da República. Dizem que o partido ficou "incomodado". E daí?
A presidente Dilma certamente sabe os riscos que está correndo com sua base aliada cada vez mais insatisfeita e beligerante. Mas, se ela não fizesse isso agora, perderia o controle do poder e a autoridade para impor sua própria forma de governar.
A indicação de Passos, desta forma, pode ter sido apenas mais um capítulo da mudança no governo iniciada com a nomeação de Gleisi Hoffmann para comandar a Casa Civil, em lugar de Antonio Palocci, que a presidente também anunciou sem ouvir ninguém.
Até onde vão a fôrça e a disposição para Dilma montar um time à sua imagem e semelhança, mudando hábitos políticos arraigados há séculos, não sabemos. Se vai dar certo, também não posso garantir.
Aconteça o que acontecer, porém, pelo menos por algum tempo voltamos a ter esperança de viver num país mais decente sem ter que sair do Brasil.
Ps:. Um pequeno empresário, dono de gatinha e que tem obrinhas, daquelas que o gato costuma enterrar, mas dá para pagar a cervejinha, o cartão de crédito e o final de semana na praia, depositou um presentinho na conta de um SPF e o Banco comeu o "tôco", pedágio ou qualquer nome,  porque o mesmo estava devendo ao nosso Banco, de todos os brasileiros,  que vale OURO, o jeito foi mudar a conta para o próximo ou próxima remessa, no caso uma parceira, tão sabida como os banqueiros... - Fechando as cortinas e a conta corrente. kkkkkk

A queda

terça-feira, 12 de julho de 2011

Audiência da Globo cai 24%


Segundo a coluna Outro Canal do jornal Folha de S. Paulo, a audiência da TV Globo caiu 24% em todo o País, de acordo com o PNT (Painel Nacional de Televisão) do Ibope.

De janeiro a junho de 2006, a média da emissora foi de 23,3 pontos, enquanto neste primeiro semestre, registrou 17,6. Na comparação do mesmo período, o SBT caiu de 7,4 para 5,6 (24%), a Record passou 5 pontos para 7,2 (crescimento de 44%). A Band e a RedeTV! mantiveram a mesma média. Cada ponto equivale a 185 mil domicílios no País.